sábado, 17 de maio de 2014

Educação Fiscal no espaço escolar


"Se é verdade que a educação não pode fazer sozinha a transformação social, também é verdade que a transformação não se efetivará e não se consolidará sem a educação.”

                                                                        Paulo Freire.


 
II – PÚBLICO ALVO:
 
Alunos do ensino fundamental, Médio e Educação de Jovens e Adultos e a comunidade em geral-arredores da escola. 
 

 

IV – JUSTIFICATIVA

 

A democracia não aparece por acaso nem tampouco pelo gosto de umas poucas pessoas que a regalam ou a impõem às maiorias (FREIRE, 2001). A construção da escola democrática não depende, igualmente, da vontade de alguns educadores e educadoras, de alguns pais e mães. Esta construção é um sonho porque devemos lutar todos e todas os que apostamos na seriedade, na liberdade, na criatividade, na alegria dentro e fora da escola.

Para que haja de fato uma construção de saberes é necessário que se faça um trabalho estruturado desde as bases, ou seja, em conjunto com a sociedade. A escola pública tem como principal objetivo formar cidadãos críticos e pensadores, e desta forma levar o aluno a descobrir suas garantias de sobrevivência dentro de uma sociedade massifista e excludente. Já não cabe ficar fazendo de conta que se ensina e o interlocutor fingindo que aprende. O educando deve ser um sujeito ativo e o educador deve se colocar no papel de motivador da aprendizagem dentro de seus aspectos relacionados ao meio social, como visões de mundo e de valores.

Este projeto tem como finalidade principal o trabalho em sala de aula com professores e alunos de forma participativa e concreta, evidenciando e vivenciando a importância da educação fiscal em todas as disciplinas, através de visitas, compras em estabelecimentos comerciais da comunidade, entrevistas, vídeos e folhetos informativos com esclarecimentos referentes à importância do recolhimento de tributos, bem como o conhecimento da falta de recursos públicos devido à sonegação.

Esperamos que este trabalho venha romper paradigmas que entravam de fato a atuação do cidadão numa sociedade, pois partimos do princípio que o cidadão deve ser o principal agente de transformação do meio em que vive através de uma atuação consciente e coerente. Neste contexto, trabalhar com temas transversais como cidadania, responsabilidade, respeito, solidariedade, inclusão social entre outros, desperta no educando uma visão mais apurada com relação aos valores éticos que devem conduzir um indivíduo justo e digno de seus direitos e deveres com relação a ele próprio e a quem o cerca.

 Dessa forma pretendemos instigar a concepção de variados sujeitos estimulando-os, a pensar globalmente e agir localmente, assumindo assim a postura comprometida das responsabilidades que lhes competem.

 


V – OBJETIVOS

 

1. Objetivo Geral:

·           Desenvolver na escola um trabalho interdisciplinar de conscientização para a formação do exercício da cidadania, centralizado na educação fiscal, condicionando que se pode melhorar o modo de vida sabendo distinguir como os recursos públicos estão sendo aplicados e distribuídos pelas autoridades, informando aos cidadãos o seu papel de fiscalizador de bens públicos.  Além disso, pretende-se levar conhecimentos aos alunos sobre a administração pública para minimizar o nível de analfabetismo fiscal nos arredores da escola e sensibilizá-los para a função socioeconômica do tributo e fazê-los conscientes de seus direitos e deveres.

 

2. Objetivos Específicos:

 

·           Incentivar o acompanhamento da comunidade escolar na aplicação dos recursos públicos;

·           Sensibilizar o estudante para implementação de ideias do que é o tributo e sua aplicação;

·           Sensibilizar os alunos do valor de uma nota fiscal;

·           Levar conhecimento ao aluno sobre a administração pública;

·           Desenvolver no aluno a consciência para o pleno exercício de sua cidadania;

·           Divulgar à comunidade escolar a aplicação dos recursos arrecadados com os impostos;

·           Estimular a exigência da nota fiscal para evitar a sonegação de impostos;

·           Conscientização do cuidado com os bens públicos e a importância da conservação dos mesmos;

·            Trabalhar de forma interdisciplinar, no sentido de aprimorar o conceito de tributo e sua aplicação.

·           Aprimorar, de forma concreta, o papel do estudante no que se refere à sua postura de cidadão frente aos desafios da sociedade em que está inserido, buscando agir no momento correto.

·           Conscientizar o educando para a correta aplicação dos valores embutidos nos temas transversais que envolvem o ambiente escolar e sua correta aplicação fora dela no que diz respeito aos seus direitos e deveres.

  

VI – METODOLOGIA

 

O projeto EDUCAÇÃO FISCAL NO ESPAÇO ESCOLAR desenvolver-se-á através da leitura crítica de textos que levam à reflexão do aluno sobre a importância do envolvimento direto na construção de uma administração pública mais eficiente nos serviços que presta para os seus cidadãos.

Esses textos têm a finalidade de serem fios condutores para formação de opiniões e definidores de conceitos sobre a importância da participação de todos no processo, para que de seus deveres fortaleçam também seu pleno direito. A partir daí poderão ser feitos relatórios orais sobre os serviços de que são usuários e a opinião dos mesmos sobre esses serviços. Como métodos de apoio serão confeccionados cartazes e outras atividades utilizando paródias, grupos de discussão, depoimentos, painéis, encenações, bem como atividades escritas, enfatizando sempre a importância da consciência cidadã no que se refere à participação fiscal e os benefícios destas atitudes.    
 
 
VII – PLANO DE AÇÃO
 


O que ?

Por que ?

Quem?

Quando?

Onde?

Como?

Quanto?

Recurso multimídia

Apresentação de vídeos sobre Educação Fiscal e Cidadania

Professores

Primeira semana de agosto

Sala de vídeo

Data show

 

 

_______

Aula expositiva

Temas transversais

Professores e alunos

No decorrer do projeto

Sala de aula

Cartazes

_______

Confecção de cartazes e panfletos

Temas transversais

Alunos

Segunda semana de agosto

Corredor da escola

Cartazes e folhetos informativos

 

R$

50,00

Apresentação de trabalhos em grupo

Temas transversais

Alunos

Terceira semana de agosto

Sala de aula

Data show

_____

Coleta de notas fiscais

Observação dos impostos pagos

 

Alunos

Ultima semana de agosto

Nos arredores da escola

 

Megafone

______

Panfletagem nos arredores da escola

Orientação da comunidade dos arredores da escola

 

 

Alunos

Primeira semana de setembro

Nos arredores da escola

Megafone;

Folhetos informativos

 

______

 

 

 

 

 

 

Debates

Por que é importante pagar imposto?

Vale a pena pagar imposto?Por quê?

O que seria dos serviços públicos sem os impostos?

 

 

 

 

 

alunos

 

 

 

 

Segunda semana de setembro

 

 

 

 

 

 

Sala de aula

 

 

 

 

 

 

     Oral

 

 

 

 

 

 

_______

Elaboração de relatórios sobre os itens discutidos

Avaliação participativa dos resultados

Professores e Alunos

Ultima semana de setembro

Sala dos professores

escritos

 

_______
 
– REFERÊNCIAS
BETING, Graziela.  Interdisciplinar, Aula Fora da Sala. Nova Escola, Abril de 2003, nº161.
 
GADOTTI, M.; FREIRE, P.; GUIMARÃES, S. Pedagogia: diálogo e conflito. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2000.
 
GANDIN, D. A prática do planejamento participativo. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1994.
 
_________ . Planejamento como prática educativa. 7.ed. São Paulo: Loyola, 1994.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário